Produções sobre direitos humanos do UNICEF

 

Amazonianarede – Assessoria do UNICEF e PCSAN

Tabatinga,AM – Exposição fotográfica, desenhos, jornais, programas de rádio e vídeos produzidos por 42 crianças e jovens Ticunas e Kokamas foram apresentados no último dia 13, em Tabatinga (Amazonas), durante evento de encerramento das Oficinas de Comunicação promovida pelo UNICEF como parte do Programa Conjunto de Segurança Alimentar e Nutricional de Mulheres e Crianças Indígenas (PCSAN).

Os jovens de Tabatinga, Benjamin Constant e São Paulo de Olivença aprenderam a usar as diversas ferramentas de comunicação com o objetivo de registrar e disseminar direitos humanos, em especial, dos povos indígenas, com atenção para crianças e jovens.

¨Gostei de fazer jornal, tirar foto, mexer no computador. Foi bom aprender sobre alimentação boa, faz bem para a saúde. Gostei de gravar entrevista na rádio. Aprendi que a criança tem direito a comunicação¨, diz a Kokama Charliene Andrade, 10 anos.

¨Foi bom bater foto, visitar as pessoas, mexer no computador. Aprendi a mexer na câmera e fazer jornal. Gostei muito de entrevistar Jacinto (agente indígena de saúde) porque falou das drogas, do álcool, e Aldo (liderança Kokama) falou da criança com cinco anos que cortava o cabelo (tradição Kokama). Aprendi que alimentação saudável é as frutas, açaí, peixe, melão, melancia e muitas coisas boas, da nossa terra¨, complementa o Kokama Jefte Coelho, 9 anos.

“A oficina de comunicação me ajudou a me comunicar mais com as outras pessoas, e trocar idéias que nunca tinha feito ou praticado. Esta oficina foi muito divertida e emocionante. E nesses três módulos de jornal, fotografia, rádio e vídeo foram as melhores coisas que aprendi a praticar”, comenta o Ticuna Marcos Jhollyfer.

“Nessa oficina aprendi que todos nós temos direito à comunicação e estou aprendendo a mexer filmadora, a tirar fotografias e como fazer jornais e entrevistas”, diz a Ticuna Egneia Ramos.

As Oficinas de Comunicação foram realizadas no período de agosto a novembro, contando com a participação de vários parceiros locais, regionais e nacionais.

¨Já reconhecemos essa ação como uma boa prática, cuja metodologia o UNICEF disseminará com o propósito de incentivar que outras crianças e jovens indígenas sejam capacitadas no uso de ferramentas de comunicação para promoção e garantia de direitos humanos¨, afirma a coordenadora do Programa de Sobrevivência & Desenvolvimento Infantil e HIV/aids do UNICEF e responsável pelo PCSAN no UNICEF, Cristina Albuquerque.

O PCSAN tem sido realizado, desde 2010, por cinco organismos das Nações Unidas (FAO, OIT, Opas/OMS, Pnud e UNICEF), em parceria com o Governo Brasileiro, representado pela Fundação Nacional do Índio (Funai); Ministério da Saúde (MS); Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

O financiamento do Programa é garantido pelo Fundo para o Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (MDG-F), criado com recursos do Governo da Espanha. O compromisso de dar continuidade às oficinas de comunicação tem sido assegurado pelos parceiros locais do UNICEF: prefeituras municipais de Tabatinga, Benjamin Constant e São Paulo de Olivença; Funai Alto Rio Solimões; Dsei Alto Rio Solimões; lideranças indígenas das três comunidades (Umariaçu I e II, Filadélfia e Colônia São Sebastião), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto Federal do Amazonas (IFAM), Rádio Nacional Alto Solimões, Organização Geral dos Professores Ticunas Bilíngues (OGPTB), Museu Maguta e Associação das Comunidades Indígenas Kokamas de São Paulo de Olivença (Acik/SPO). A rede de comunicação Amazon Sat também tem sido outra parceira das Oficinas de Comunicação.

 

 

Esse é o Portal Oficial Sandro Tikuna, Líder Indígena, Comunicador, Ambientalista, Artista e Político. Pertencente ao Clã Manguari (Cowacüã') seu nome tradicional é Tchobücü,  nascido Sandro Stéfano Pinto Flores, nasceu no dia 28 de setembro de 1992, na aldeia Filadélfia, Benjamin Constant - AM, microrregião do Alto Solimões.
É um dos líderes do movimento indígena do Alto Solimões, sua liderança de luta e resistência está voltada a atividades culturais, sociais e políticas indígenas.
O portal é um espaço para apresentar os trabalhos e ações desenvolvidas na região do Alto Solimões, bem como a participação nas lutas e na resistência dos povos indígenas do Brasil.

"Temos o dever de continuar a luta dos nossos anciões e caciques do nosso povo"

SANDRO TIKUNA

 

VÍDEOS

 

 

MOVIMENTO INDÍGENA

 

 

 

 

 Assine a Carta contra o PL 490