Nascimento dos Heróis Magüta

Certo dia, Ngu'tapa com raiva da esposa Mapana armou uma emboscada no caminho em que eles passavam. 

Ngu'tapa pediu para que Mapana o acompanhasse na caça, chegando perto do caminho da emboscada, eles começaram a brigar, foi ai que Ngu'tapa pegou sua esposa e começou a violentar sua esposa e a feria suas partes íntimas. Amarrou sua esposa com cipós e a deixou na mata para que as formigas matassem ela nesse caminho.

Quando o sol começou a esfriar, Mapana fraca e com dor no seu corpo viu um pássaro de longe de cantava na copa das arvores.

Era o pássaro encantado CANCAN.

Então, Mapana chamou o pássaro bem alto:

Vovó, vovó, vovó!

Me ajude!

Vovó, vovó me ajude.

Quando o passaro encantado ouviu Mapana desceu até ela e se transformou numa pessoa. Perguntou o que havia acontecido com ela, porque ela estava ali presa com os cipós e toda ferida. Mapana contou toda a história do que havia passado com ela e o pássaro com raiva a ensinou uma nova vingança contra Ngu'tapa para matá-lo.

Mapana entao ouviu atentamente o que passaro dizia para se vingar do marido.

O pássaro cancan disse:

Seu marido está pensando que você está morta e ele vai voltar pra ver você.

Quando ele voltar se transforme em um passaro e jogue uma casa de caba nele pra ele morrer com as ferradas.

E o encantado que salvou Mapana se transformou novamente em pássaro e foi embora.

Dias depois Ngu'tapa vinha de longe assobiando:

Fifififi...

Fifififi...

Fiiiii.

Mapana então, percebeu que era seu esposo e se preparou para quando chegar no caminho da emboscada jogar em cima dele a casa de caba que o pássaro cancan deixou para se vingar de Ngu'tapa.

Quando ele chegou perto, Mapana jogou a caba em cima do marido e Ngu'tapa começou a gritar:

Ai, ai, ai.

Sem perceber que Mapana havia jogado a caba nele.

Com tantos ferroes das cabas, Mapana viu o sofrimento de Ngu'tapa e voltou para sua casa vingada.

Ngu'tapa percebeu que Mapana nao estava lá no caminho e pensou que ela havia se vingado.

Ngu'tapa nao conseguia andar e foi se rastejando para sua casa.

Mapana, fez de conta que nao viu ninguem chegar.

Alguns dias depois Ngu'tapa estava com os dois joelho inchados, Mapana nao cuidava dele e ele gritava de tanta dor. 

Mais alguns dias Ngu'tapa viu 2 pessoas no joelho direito e mais 2 pessoas no joelho esquerdo.

Passaram mais dias e Ngu'tapa viu essas pessoas confeccionarem armas e utensílios. 

Dias depois de tanta Ngu'tapa desmaiou e os joelhos inchados se abriram e do lado direito sairam: Yo'i e Aicüna e do lado esquerdo: Ipi e Mowatcha. Quadrigemeos, cada um com suas armas e seus utensílios domésticos. 

 Essa é a história de como os Heróis Magüta nasceram!

Yo'i (Deus tikuna) segundo o povo tikuna o herói e o mais importante das divindades magüta.

Ipi (Deus Tikuna) segundo o povo tikuna é o oposto, o mal mais também herói magüta.

Aicüna (Deusa Tikuna)

Mowatcha (Deusa Tikuna)

Ngu'tapa (Deus Tikuna)

Mapana (Deusa Tikuna)

Esse é o Portal Oficial Sandro Tikuna, Líder Indígena, Comunicador, Ambientalista, Artista e Político. Pertencente ao Clã Manguari (Cowacüã') seu nome tradicional é Tchobücü,  nascido Sandro Stéfano Pinto Flores, nasceu no dia 28 de setembro de 1992, na aldeia Filadélfia, Benjamin Constant - AM, microrregião do Alto Solimões.
É um dos líderes do movimento indígena do Alto Solimões, sua liderança de luta e resistência está voltada a atividades culturais, sociais e políticas indígenas.
O portal é um espaço para apresentar os trabalhos e ações desenvolvidas na região do Alto Solimões, bem como a participação nas lutas e na resistência dos povos indígenas do Brasil.

"Temos o dever de continuar a luta dos nossos anciões e caciques do nosso povo"

SANDRO TIKUNA

 

VÍDEOS

 

 

MOVIMENTO INDÍGENA

 

 

 

 

 Assine a Carta contra o PL 490