Jovens indígenas têm formação política

Foto: Secretaria Nacional de Juventude

Na semana passada cerca de 25 jovens indígenas participaram da Oficina de Formação Política para a Juventude Indígena, em Brasília. Entre os dias 27 a 30, eles discutiram assuntos relacionados ao tema do encontro “Assuntos Internacionais: Avanços e Desafios”.

O objetivo foi contribuir com a formação indígena, propiciando informações sobre direitos internacionais, com reflexões e estratégias de atuação da juventude frente aos povos indígenas. Renata Serradourada, assessora de Políticas Transversais e representante da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), destacou, durante o encontro, a importância da juventude indígena se articular e ocupar espaços políticos. “Na SNJ estamos realizando as Oficinas do Plano Juventude em Diálogo, mas precisamos que mais jovens indígenas participem destes espaços.  A SNJ assume o compromisso de garantir a maior participação de vocês”.

Para o jovem Sandro Ticuna, 23 anos do Amazonas, integrante da Rede de Jovens Comunicadores Indígenas, a oficina propiciou uma nova perspectiva. “Saio daqui fortalecido, pois adquiri mais informações sobre as leis que amparam os indígenas, garantidas na Constituição. Conseguimos entender a verdadeira força das leis nacionais e internacionais”, disse.

Guilherme Araújo, 25 anos, da etnia Xucuru, localizada em Pesqueira/PE, e integrante da Comissão da Juventude Indígena de Pernambuco, também destacou a importância da apresentação de leis internacionais como a Declaração das Nações Unidas para os Povos Indígenas e a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho. “Não tinha muita noção do que eram esses documentos internacionais, mas com esta oficina pude entender melhor. Quero levar essas informações para a juventude de minha etnia, pois essas discussões não são muito noticiadas”, destacou.

*Texto original publicado no site do Participatório

Esse é o Portal Oficial Sandro Tikuna, Líder Indígena, Comunicador, Ambientalista, Artista e Político. Pertencente ao Clã Manguari (Cowacüã') seu nome tradicional é Tchobücü,  nascido Sandro Stéfano Pinto Flores, nasceu no dia 28 de setembro de 1992, na aldeia Filadélfia, Benjamin Constant - AM, microrregião do Alto Solimões.
É um dos líderes do movimento indígena do Alto Solimões, sua liderança de luta e resistência está voltada a atividades culturais, sociais e políticas indígenas.
O portal é um espaço para apresentar os trabalhos e ações desenvolvidas na região do Alto Solimões, bem como a participação nas lutas e na resistência dos povos indígenas do Brasil.

"Temos o dever de continuar a luta dos nossos anciões e caciques do nosso povo"

SANDRO TIKUNA

 

VÍDEOS

 

 

MOVIMENTO INDÍGENA

 

 

 

 

 Assine a Carta contra o PL 490